ANTECEDENTE

Presentemente, a Biotecnologia esta a passar por uma rapida evolução, desde uma industria de investigação e desenvolvimento a uma industria de fabrico, vendas e marketing. Pode-se assinalar cinco campos de crescente desenvolvimento: uso de celulas estaminais, produção de proteinas e chips de ADN, nanotecnologia, engenharia de tecidos (ET) e desenvolvimento da proteomica.

O instituto de investigação biologica do Biocell Ultravital, contando com mais de 70 anos dedicados à investigação e desenvolvimento de biomateriais vitais de alta potência especificos para o corpo humano, continua a desenvolver novas terapêuticas onde obtivemos sucesso em regenerar celulas disfuncionais do recipiente para a sua reparação e revitalização no âmbito dos controlos mais estritos e rigorosos exigidos pela segurança biologica.

Empregamos substâncias naturais, na sua maioria— largamente conhecidas como compostos celulares—usando extractos de animais e de origem vegetal que são medicamentos biologicos verdadeiramente seguros em 100% para nutrição celular induzindo progressivamente a reparação e normalização do ciclo celular como um mecanismo de cura. Quando e usada a injecção de celulas completas, estamos a referir-nos a renovação de celulas.

O sucesso dos nossos tratamentos celulares e principalmente atribuido ao facto de que são aceites pelo corpo do recipiente sem risco de rejeição ou possiveis disturbios na genetica celular do recipiente; os seus efeitos são revitalizantes numa primeira fase e subsequentemente regenerativos. Naturalmente que não produzem o efeito de resposta terapêutica conhecido por todos; mais exactamente, acontece o oposto, e o corpo que se modifica a si proprio.

Ao contrario com o que se passa com drogas quimicas que podem alterar o ritmo dos processos biologicos existentes (por exemplo, quimioterapia), os nossos produtos carecem da capacidade de se imporem eles proprios no orgão alvo; mais propriamente, eles actuam apenas ate ao ponto em que são aceites e incorporados como complementos, por conseguinte nunca podem actuar criando lesões no corpo recipiente. Com o decorrer do tempo, as reacções subsequentes (por exemplo, o aumento sustido na produção de uma hormona) não são devidas a acção residual, mas à resposta do recipiente. A composição dos nossos produtos, se bem que muito complexa, e simultaneamente muito simples, embora isto possa soar contraditorio, e o que se pode considerar o mais afastado da simplicidade das monodrogas, que a farmacologia procura como uma substância eficaz. Atendendo a que, em geral, o ponto fulcral e a sintomatologia, as terapêuticas classicas são orientadas para responder aos links finais da doença; quer dizer, e mais sintomatica do que causal e visa patogenetica e terapeuticamente as consequências e não onde a falha e causada ao nivel de mitocôndria, ribossomos ou citomambranas, dirigidas incorrectamente ou mal programadas geneticamente, por outras palavras, a disturbios celulares.

Os tecidos do corpo humano vão-se desgastando de um modo natural durante a vida de uma pessoa, defendendo-se atraves do desenvolvimento da capacidade intrinseca de auto-renovação desses tecidos desgastados. Se este tipo de auto-renovação não existisse, a esperança de vida dos seres vivos seria consideravelmente reduzida.

Todos os seres vivos são constituidos por celulas e todas as celulas do corpo apresentam exactamente a mesma informação genetica.Contudo, nem todas se comportam do mesmo modo. Sabemos que a regulação do crescimento e divisão de celulas (ciclo celular) e muito complexa. No ciclo celular existem pontos de restrição que impedem a continuação normal do ciclo devido a varios factores, como, por exemplo, se as celulas não atingirem um tamanho suficiente, carecem de nutrientes, o ADN sofreu lesões ou recebe danos quimicos exteriores, etc.

O desenvolvimento normal e um processo equilibrado que inclui proliferação celular e morte. Os processos de proliferação celular e morte por apoptose são ainda mais complexos e envolvem a participação de muitos genes. Em ambos os processos, o gene supressor p53 e um dos genes ou proteinas mais importantes e estudados. Este factor de transcrição activa uma variedade de genes, resultando na inibição do progresso do ciclo celular e reparação celular ou em apoptose. Os sinais que activam a função p53 incluem danos no ADN que toma parte na inibição do progresso do ciclo celular durante a fase G1.

Quando uma celula sofre danos, o ciclo que esta a ser detido ou a apoptose que esta a ser induzida depende da intensidade dos danos. O resultado final dos diferentes mecanismos de acção do p53 e manter a estabilidade genomica das celulas. Consequentemente, a deficiência desta proteina contribui para a instabilidade genomica, para a acumulação de mutações e a aceleração de tumourigenses; o p53 sofre mutações em 50-55 por cento de todos os tipos de cancro nos seres humanos.
Estas mutações estão localizadas principalmente no dominio de fixação ao ADN, resultando na perda da sua actividade biologica.

Como se pode observar, o exemplo anterior e apenas um caso referente a disturbios celulares que frequentemente resultam em doenças incuraveis, mas existem muitos factores que podem desencadear disturbios no desenvolvimento celular normal e robusto. Todavia, comprova-se que estes são causados por uma ou mais deficiências na função celular elementar e/ou deterioração no seu proprio ambiente.

Por outro lado, a ampla lista de doenças que afectam o corpo humano baseia-se na degeneração celular e na consequente morte dos diferentes tecidos que constituem os nossos corpos, quer intensamente (enfartes) ou cronicamente (degeneração-envelhecimento).

É por esta razão que incluimos nos nossos tecidos, tecidos precursores de celulas embrionicas que correspondem às celulas de 2ª. geração e produtos tecidulares precursores com um teor rico em celulas pluripotentes, como e o caso unico do produto HUMAN ULTRACELL 3 G. Deste modo, somos bem-sucedidos em disponibilizar ao corpo humano novos materiais celulares que oferecem uma nova dinâmica a formulas anteriores dos nossos ja reconhecidos produtos, agregando nomeadamente um novo potencial de terapêutica com uma diferença suficiente para assegurar uma função celular optimizada a qual protege o corpo, por tanto tempo quanto possivel, contra danos celulares os quais, inevitavelmente, se transformarão em patologias e doenças com uma influência maior em todos os processos de envelhecimento.

O uso destes novos componentes nas nossas formulas regula as concretizações fundamentais para a medicina regenerativa e tratamento regenerativo atraves dos nossos produtos.

© 2018 Biocell Ultravital. Privacy
Like Us on Facebook Follow Us on Twitter